Como cuidar da imagem de sua empresa diante da atual efervescência de opiniões nesse mundo interconectado, engajado e insone?

Não é de hoje que a indústria do cuidar – aí eu incluo os vários segmentos do setor de saúde higiene e beleza – tem uma imagem paradoxalmente menos reconhecida (e querida), quando comparada a de outros bens de consumo. Isso se reflete no ranking de alguns dos mais respeitados institutos do mundo.

Distância não ajuda a despertar empatia ou admiração. Há muitos anos, a indústria farmacêutica enfrenta a desconfiança do público em geral e dos diferentes segmentos da sociedade, apesar do esforço crescente em mostrar o impacto positivo de suas descobertas na vida das pessoas. Falta transparência? Em um mercado tão regulado e controlado, talvez falte mesmo é mais diálogo e integração com a sociedade. Afinal, quem está atrás de uma caixinha de comprimidos?

O glamour atribuído ao segmento de beleza, ao contrário do que se poderia imaginar, não é mais diferencial em si. Algumas percepções objetivas, outras nem tanto, passaram a influenciar consumidores, tornando-os embaixadores ou críticos dos produtos que decidem comprar ou boicotar.

Como, então, cuidar da imagem de sua empresa diante da atual efervescência de opiniões nesse mundo mais interconectado, mais engajado e insone?

Dar voz e princípios à sua marca já é um bom começo. Abrir canais mais eficazes de escuta e estabelecer conexões concretas com o seu público também pode surpreender. Mas permitir que os consumidores sejam coautores do sucesso de sua organização pode fazer toda a diferença. Afinal, são eles que farão você chegar lá.

Foto_3x4_03 (grande)
Cris Moscardi
Diretora Executiva

About the author